Visitantes

contador de acesso grátis

sábado, 29 de outubro de 2016

Handebol passado para mim, mas uma família que ganhei.

Oi meus amigos. Todos sabem que joguei handebol e fui treinador por muitos anos. Hoje me deu vontade de compartilhar com meus ex-atletas e treinadores o que foi a minha vida neste esporte.
Durante muito tempo tive muitas experiências e aprendi varias lições. Comecei a jogar com 13 anos, totalmente sem querer. Pois meus pais não deixaram jogar basquete em Volta Redondo, pois teria que ir de ônibus. E como a maioria dos amigos da minha turma jogava handebol eu fui ver o treino e o Treinador da época Fernando Vitorino me chamou para jogar. Com o tempo fui aprendendo e gostando do handebol e resolvi treinar. Realmente a equipe era como uma família entrou já fazia parte do circulo de amizade de todos.
Confesso que no começo foi bem difícil pra mim, eu me imaginaria jogando qualquer coisa menos handebol.
Minha vida só mudou pra melhor, aprendi diversas coisas com esse esporte, a principal delas é ter a capacidade de superar limites e enfrentar barreiras enormes por sinal. Comecei a treinar, não sabendo bater nem uma bola, mas com garra e muito treino comecei a pegar o jeito da coisa. Treinei muitos anos no Colégio Verbo Divino e um ano no Sabec com o Treinador Nilson. Mas minha história foi toda no Verbo Divino. Depois de algum tempo quando me formei, o meu Treinador Fernando Vitorino me passou o comando da equipe do Verbo. Para mim foi um choque, mas uma vontade muito louca de continuar o trabalho realizado até aquele momento. Durante 23 anos fui treinador do Verbo e acho que consegui cumprir meu papel tanto como educador, como treinador.
Nestes anos fiz muitos amigos e conheci muitos lugares. E tenho o privilegio de ser chamado ate hoje de Paizão por muitos ex-atletas.
Handebol pra mim foi como um relacionamento tive altos e baixos, chorei de alegria mais também chorei de tristeza, chorei de emoção, chorei de amor e de uma forma ou outra me apeguei. Nas quadras eu encontrava a minha paz, a paz de espirito! Quando eu estava jogando, nada me importava além da minha vontade de querer fazer mais e mais. No handebol construí uma família maravilhosa, amigos que para resto da vida sei que posso contar com amigos que dividiam as alegrias e também as tristezas, amigos e companheiros de time que hoje preenchem o meu coração. No esporte a gente faz amigos, a gente faz família. Hoje sou um eterno amante do handebol, hoje tenho uma família em que podemos sentar em uma mesa e muitas histórias pra contar, histórias felizes de momentos de conquistas realizadas mais também histórias tristes de perdas recebidas, mais oque seria de nós sem todas essas experiências? Não seriamos nada. Me orgulho dos meus times, por todas as situações passadas, por um só sonho: Ser campeão na raça, transformar nosso suor em ouro, dá 100% de nós em quadra.
Deixo pra vocês hoje, um pouco sobre alguns amores que tenho um deles é o Handebol como vocês sabem! Joguei pelo colégio, pelo Volta Redonda, Por Barra Mansa, pela Faculdade e muitos outros.
Obrigado por todos que fizeram parte desta minha família Handebol. Tenho cada um Guardado no meu coração.
Caio Marcio

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A cantiga escravo de Jó.

Estava lendo sobre a música escravo de Jó e resolvi pesquisar sobre o tema é muito me surpreendi.
Quem foi Jó é a primeira coisa a saber.
De acordo com o Antigo Testamento, Jó foi uma pessoa que Deus apostou com o Demônio pois mesmo perdendo os filhos e toda a riqueza que possuía ele garantia que não perderia a sua fé. Também era conhecida na época a paciência que Jó tinha Assim deu início a frase Paciência de Jó. De qualquer forma tem uma lógica: o livro de Jó é colocado entre os livros sapienciais e sabemos que a “prudência” na Bíblia está incluída na “sabedoria”. Eclesiástico 1,4 diz: Antes de todas essas coisas foi criada a Sabedoria, a prudência existe desde sempre. Jó era uma pessoa muito rica e com isto se destacava entre todos e principalmente entre os sábios. Com a aposta entre Deus é Satanás, este teve o consentimento de Deus para poder colocar a fé de Jó em jogo. Assim ele privou Jó de tuas riquesas, de teus 10 filhos e fez com que a saúde de Jó que era muito boa fosse tirada. Jó com toda tua riquesas algumas vezes fez coisas que não eram certas. E com tudo isto acontecendo, as pessoas achavam que Deus estava punindo Jó e resolveram expulsa-lo da cidade.
Com tudo isto até a esposa de Jó o expulsou de casa. Porém mesmo sofrendo tudo isto Jó nunca perdeu a fé em Deus. E por causa de sua fé e por nunca ter se revoltado contra Deus, Jó teve a cura de todas as doenças, teve outros filhos e no fim toda tua riqueza foi redobrada.
Uma das maiores dúvidas da música é a frase Escravos de Jó, pois nada indica que Jó tinha escravos. O que a história diz é que o mais provável seja que os escravos sejam símbolo de um homem rico como Jó que naquela época era muito respeitado.
Os escravos que faziam o zigue zigue zá seriam os fujões, que corriam em ziguezague para despistar os capitães-do-mato.
O significado de caxangá é ainda mais obscuro. Segundo o Dicionário Tupi-Guarani-Português, de Francisco da Silveira Bueno, caxangá vem de caá-çangá, que significa “mata extensa”. Já para o Dicionário do Folclore Brasileiro é um adereço usado pelas mulheres alagoanas. A palavra também já foi associado aos saquinhos utilizados no contrabando de sementes para as senzalas.
Tudo indica que, de boca em boca, o significado da palavra, ou até mesmo a composição dos versos, tenha sido muito modificado. Isso também explicaria as variações regionais da cantiga. Afinal, deixamos o Zambelê ou o Zé Pereira ficar?
“Escravos de Jó, jogavam caxangá…”, basta alguém começar a cantar que você imediatamente se lembra da letra completa da cantiga, não é mesmo? Os escravos de Jó fizeram parte da infância de praticamente todas as crianças nascidas ou criadas no Brasil.
Agora muitos não sabem o que é caxangá. E por este motivo procurei ver, pois para mim também era uma dúvida.
De acordo com o Dicionário do Folclore Brasileiro, caxangá nada mais é do que um tipo de adereço usado pelas mulheres alagoanas. Além disso, a palavra também possui outros significados, como um chapéu usado por marinheiros e um crustáceo que se parece com um siri. Você deve estar se perguntando o que esses significados de “caxangá” tem a ver com a cantiga. Por mais inacreditável que pareça, o mais provável é que o caxangá do canto se refira aos crustáceos. Quando li isto fiquei meio confuso e não entendi nada, mas procurando mais vi que os escravos tinham também como obrigação capturar Síris, para se alimentar e alimentar os senhores e assim surgia a palavra Juntando Caxangás. Mas aí veio outra dúvida a música não diz juntando Caxangá e sim jogando Caxangá. Mas não achei nada sobre e li um texto que seja provável ou seja com o passar do tempo, e com o passar da música de boca em boca, o significado tenha sido alterado e “pegando caxangá” tenha se transformado em “jogando caxangá”. Sim, era um trabalho e não um jogo para eles.
Aí vem outra dúvida sobre a música. Zigue zigue zá. Pouco se acha sobre esta frase também mas pelo que pesquisei o Zigue zigue zá provavelmente pode ser o ziguezague que os escravos faziam para fugir do capitão-do-mato, que os perseguia em caso de fuga, a mando do senhor. Por isso são apontados como “guerreiros”, afinal, fugir da escravidão não é nada fácil. Bom não sei se consegui tirar a dúvida de muitos, mas para mim a música cantiga dos escravos de Jó faz mais sentido agora?
Aposto que você não imaginava tudo isso quando brincava com os amigos na infância muito menos eu.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Nosso lado criança às vezes que aflorar.

Nosso lado criança às vezes que aflorar.

Todos nós temos dentro de nós uma criança que se alimentarmos ela continua viva, mas se a esquecermos ela adormece é nosso lado infantil, meigo, alegre, feliz e inocente deixa de existir e nós passamos a ser um humano frio, calculista, desconfiado é sempre sério deixando um lado lindo morto dentro de nós.
Porém temos que saber que este lado criança apenas apareça em momentos apropriados onde podemos ser realmente quem somos, pois com a idade e a responsabilidade muitas vezes temos que ser competentes e realistas.
Esta criança interior deve existir para que não morra en nós a ingenuidade que nos faz mais humanos, pois muitas vezes precisamos saber perdoar é esquecer de algum mal que sofremos. Esta criança faz com que nós tenhamos sempre um sorriso sincero e não um falso sorriso.
Temos que alimentar esta criança para sabermos receber um abraço aconchegante sem que nosso lado adulto nos reprima. Nosso lado adulto não nos permite que sorrimos verdadeiramente e o lado criança sorri com facilidade.
A criança não tem preconceitos, pois todos são iguais perante a brincadeira e amizade. Nosso lado adulto não nos permite dormir no colo de quem nos ama e da carinho, pois a vergonha não nos permite este tipo de afeto e aí esquecemos das histórias contadas por nossas avós e mães que quando estávamos deitados nos teus colos, nos contavam histórias de castelos, príncipes, sapos, fadas e finais felizes.
As crianças têm sentimentos que muitos adultos esquecem que é a autenticidade no coração e a lágrima nas horas certas ou não.
Para que não morra em nós o olhar sincero, dentro dos olhos, pois não temos nada a esconder nem o que de fato temer a não ser o Bicho Papão.
Enquanto alimentamos nosso lado criança, nossos pais são sempre nossos heróis e se deixarmos somente nosso lado adulto, eles passam a ser apenas adultos que para nós são ultrapassados.
Quando deixamos nosso lado adulto aflorar, muitas vezes estamos do lado de pessoas que apenas podem nos oferecer alguma coisa e o lado criança nós da vontade de estar juntos pelo simples fato de que se gosta da pessoa e não do que ela tem a oferecer.
Meu lado criança faz com que não morra em mim a vontade de correr descalço, molhar-se na chuva, comer brigadeiro sem brigar com a balança, dormir sem remédios, beber suco e refri pois é o suficiente para nos animar, e também cantar de mãos dadas as cantigas de roda que nos fazem felizes, e isso é tão simples.
A verdade para nosso lado adulto é feita de vários aspectos e para nosso lado criança apenas é verdade.
Para que não morra em nós o apego pelo que de fato tem valor e isso o dinheiro não pode comprar.
Nosso lado adulto tem responsabilidade e deveres que todo cidadão tem que ter, mas se não tivermos nosso lado criança, como viveremos nosso tempo livre.
Nosso lado adulto desconfia de tudo, não dá direito a nenhum prazer e principalmente mata nossa pureza. Muitas vezes ouço até adolescentes dizendo que besteira este negócio de dia das crianças, Páscoa e papai Noel. Mas meu lado criança acredita em Papai Noel pois para mim o Natal é lúdico.
Meu lado criança, continua vivo dentro de mim, não importa que os anos passem, que o corpo físico já não seja mais tão jovem, que a criança que fui um dia, tenha ficado tão distante, o que importa realmente é que ela, a minha criança, esteja sempre comigo. Tenho uma facilidade muito grande para me comunicar com crianças e com adolescentes, e penso que seja por esse meu lado meio infantil, sonhador, e brincalhão, isso acaba atraindo.
Sempre existiu uma criança dentro de mim.  Devemos ter mesmo nosso lado infantil e inocente sempre vivo dentro de nós, é ele que nos impulsiona a viver alegremente a vida em uma sociedade que nos faz esquecer da infância. Não estou falando que temos que ser sempre criança e não termos responsabilidade, pelo contrário temos que saber dosar bem nosso lado adulto profissional e nosso lado criança.
Algumas pessoas poderiam ler e pensar que estou sendo criança de mais Rsrsrsrsrs, mas não é isto que quero demonstrar. Apenas quero que todos nunca deixem a criança interior morrer.
Algumas vezes, conversando com certas pessoas, “gente grande” assim como eu, conseguia notar uma mensagem que partia de seu interior, uma criança surgia e dizia algo, algo que para ser notado requer atenção e de certa forma um interesse em entrelinhas, também diria que uma certa empatia. Essa criança que hora ou outra eu percebia, se manifestava de formas tão diversas e sempre que eu notava ficava toda reflexiva a respeito de seu surgimento, viajava para um mundo onde eu pudesse enxergá-la no passado talvez necessitando de algo.  Muitas vezes nos bloqueamos nossa criança, mesmo que saibamos que tem horas que ela quer se manifestar através de momentos de risadas, brincadeiras e outros. Mas nosso lado adulto sufoca na hora por causa de nova visão de mundo, cobranças, exigências, correria, banalidades.  Para deixarmos nosso lado criança surgir de vez em quando temos que voltar ao passado e muitas vezes bloqueamos este tempo é não queremos mais saber de remexer no passado, achando que ele deve ficar esquecido, se trata apenas de algo que aconteceu e do qual não se pode mais desfrutar, portanto, que fique para trás. Acredito que o passado tenha muito a dizer sobre quem somos hoje, a somatória de experiências, aprendizados, tudo pelo que passamos ajudaram a construir aquilo que somos, tiveram uma contribuição importante na nossa vida passada. Sei que ontem já era, hoje é o dia e amanhã poderia não mais chegar, mas temos experiências boas e ruins do passado. Sei também que para muitos o esquecimento é a melhor opção, mas a criança que mora em nós não tem culpa.
Muitas vezes vemos pessoas adultas que falam que este negócio de criança interior é coisa de fantasia, pois a vida é dura e temos que saber levar com responsabilidade e pé no chão. Mas muitas vezes Percebi comportamento de pessoas, os quais considerei infantis e achei graça a partir dessa percepção que logo foi mudando enquanto outro pensamento me atingia carregado de compreensão e questionamentos. Na verdade, a verdadeira graça é acharmos que ser adulto implica em abrir totalmente mão da criança que fomos (também considero um grande equívoco da nossa parte), talvez isso nos esmague, sufoque quem realmente somos criando tensão e barreiras dentro de nós.
 Quando crescemos, tomamos consciência da realidade desse mundo caótico, endurecemos, talvez aos poucos nos abandonemos, dando lugar a novos fatores que incorporamos, a mudança é brusca, podem haver pressões, incertezas, questionamentos sobre nosso lugar no mundo, busca de identificação e orientação através do outro e no meio de tudo isso, dessa ocupação constante de tornar-se algo muitas vezes não tiramos um tempo para refletirmos a respeito de nós mesmos, quem somos, o que estamos nos tornando e por qual motivo estamos fazendo determinadas escolhas para as nossas vidas. Foi alguém que disse que teria de ser como é? Passou na televisão? A origem é desconhecida mas se trata de algo simplesmente absorvido e incorporado ao longo da vida de maneira irrefletida?
Porém eu não quero nunca perder está inocência que vive em mim que adora rir de algo engraçado, adora circo, palhaço e faz com que algumas pessoas se divirtam.
Gostaria de encerrar citando Carl Gustav Jung (psicoterapeuta e psiquiatra). Embora o artigo contenha uma visão subjetiva e não uma abordagem do ponto de vista psicológico, acredito que a citação que se segue de certa maneira possui relação com o "espírito" do texto.
"Em todo adulto espreita uma criança - uma criança eterna, algo que está sempre vindo a ser, que nunca está completo, e que solicita, atenção e educação incessantes. Essa é a parte da personalidade humana que quer desenvolver-se e tornar-se.
Por isto digo: A vida é a arte de escolher, Ser adulto ou ser criança, É só escolher
e viver!

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Vidas passadas.

A vida é engraçada. Coloca pessoas nas nossas vidas mesmo sem nos conhecermos.
Existe uma lenda que diz: “‘Akai Ito’ é uma lenda que diz que quando a pessoa é destinada a outra, ambas têm um laço vermelho que as ligam, no dedo mindinho. O laço pode embaraçar, emaranhar, mas ele nunca quebra. O laço não é visível a olho nu, mas está lá desde o momento do nascimento. Quanto mais longo estiver o fio, mas longe as pessoas estão e mais tristes estarão. Sequer a morte o rompe, apenas o alarga para se encontrarem em outra vida”.
Às vezes nos perguntamos como sabemos se o amor vem de vidas passadas. A resposta a esta pergunta não é tão complicada assim. Se você conhece uma pessoa a pouco tempo, mesmo sem conhecer pessoalmente é tudo ou quase tudo bate e sente necessidade de falar com ela, então vocês já viveram, sem sombra de dúvida experiências mútuas em vidas passadas.
O amor à primeira vista consiste no despertar de um sentimento tão logo vemos ou estamos na presença de uma pessoa desconhecida que nos desperta algo muito bom, maravilhoso, superior, quase celeste e divino, e que é incompreensível. 
Esse amor pode ter sua origem em dezenas ou mesmo centenas de vidas passadas onde estas duas almas viveram juntas. Pode até mesmo ser anterior aos primeiros nascimentos terrestres. Esse reencontro faz ressurgir uma emoção, um envolvimento que já existia dentro da pessoa, mas que ainda estava disperso. O amor à primeira vista não deve ser confundido com maravilhamento pela beleza física. Ele é uma profunda identificação com alguém que já conhecemos há milênios e que reencontramos nesta vida. Esse pode ser o início de uma longa história de amor.
Não sei o que está acontecendo comigo, não sei se vou conhecer esta pessoa, mas saiba que me fez renascer e olhar de uma outra maneira a essência da vida.
O destino é o dono da razão que ele conduza está vida com muito amor e carinho e se ele não quiser unir os dois que faça que cada um tenha uma vida cheia de luz e harmonia.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

A cachoeira

Quando estou na cachoeira em penedo, minha mente me leva a vários lugares.
A água corrente e o barulho nas pedras fazem com que a leveza do ambiente me traga inspiração para escrever. A natureza é perfeita e a harmonia das pedras, das águas, da mata e o canto dos pássaros mostram como Deus foi perfeito e nós conseguimos acabar com tudo.
É lindo ver as águas fluírem nas pedras, pois são os obstáculos que fazem prosseguirem. Nenhuma rocha, por mais resistente que seja, é capaz de deter a água. Ela tem sabedoria para contorná-la e seguir em frente.
Observando por alguns momentos, remeti este processo a nossa vida, pois temos vários obstáculos durante nosso caminho e temos que desviar deles para ficarmos mais fortes e continuar a nossa jornada.
Acho que todos deveriam tomar um banho de cachoeira para limpar o corpo e a alma. E que ao sair se sinta transformado com o poder de fazer alguém rir ou chorar se for necessário, que em vez de ter raiva consiga entender as pessoas, que os vagalumes que guardamos dentro de nós com as luzes que nos trazem boas ou más lembranças se libertem e iluminem nosso caminho para sermos felizes enquanto estamos vivos.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Desabafar

Desabafar ou seja respirar colocar para fora. As vezes muitos se sentem atingidos, mas quando desabafamos, muitas vezes é para nós mesmo não querendo atingir ninguém. Acho que faz muito bem em "respirar" pela escrita hehehe muitas vezes fazemos os amigos "respirar" para nós, mas lá no fundo se calhar quem precisaria mais de respirar eramos nós.
Ao menos pela escrita e publicação exprimimos o que sentimos, e só lê quem quer, não correndo assim o risco de incomodar alguém.
Vou colocar aqui algumas frases que diz muito para muitas pessoas é que muitos têm medo de expor.
"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."(Fernando Pessoa)
"A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida olhando-se para a frente."
"Há pessoas que nos falam e nem as escutamos; há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam.
Mas há pessoas que, simplesmente, aparecem em nossa vida e que marcam para sempre..."(Cecília Meireles)
"Amo a liberdade, por isso...Deixo as coisas que amo livres...Se elas voltarem é porque as conquistei,...Se não voltarem é porque nunca as possuí."(John Lennon)
"Se você viver cem anos eu quero viver cem anos menos um dia, assim nunca terei de viver sem você"- Winnie Pooh.
"A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido. Não na vitória propriamente dita." (Mahatma Gandhi)
É isso apenas um desabafo e creio que muitos se sentirão mais leves também.
Deixo algumas das frases mais lidas por mim e que têm alguma influencia na minha maneira de ser e de estar:
* É muito difícil encontrar um bom amigo, mais difícil ainda deixá-lo e impossível esquecê-lo!
* Os meus pensamentos não podem ser presos, levados pelo vento, muito menos cobertos pela areia...pois a liberdade está em sonhar, e o sonhar está na vontade e desejo de AMAR!!
* A verdadeira beleza do ser humano não se vê apenas com os olhos, mas sim no interior do coração!
* "Temos UMA boca e DOIS ouvidos, mas jamais nos comportamos proporcionalmente."
* ´A vida deve ser vivida a cada segundo ou o tempo passará sem termos vivido´
* "Há três coisas que jamais voltam: a flecha lançada, a palavra dita e a oportunidade perdida."
* "Aquele que pergunta, pode ser um tolo por cinco minutos. Aquele que deixa de perguntar, será um tolo para o resto da vida."
* "Eu estava furioso por não ter sapatos; então encontrei um homem que não tinha pés e me dei por muito satisfeito."
* A mais alta das torres começa no solo.