Visitantes

contador de acesso grátis

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Rua

Escrito em 20/04/87

Dizem que a rua é uma escola para muitas pessoas, pois tudo que se aprende nela é certo e o demais é careta.
Porém, isso somente acontece, porque são pessoas mal-informadas, ou melhor, dizendo, pessoas que não tiveram uma educação correta e aberta com seus pais, e que por isso procuraram aprender de algum modo com amigos ou conhecidos.
Graças a Deus, na minha casa o diálogo é muito grande, facilitando assim a minha compreensão do certo e do errado.
Eu acho que se as pessoas se preocupassem mais com as outras e procurassem ajuda-las com aulas e palestras, as coisas poderiam melhorar um pouco para todos nós.
O primordial seria o diálogo entre pais e filhos, pois assim, quem sabe, as pessoas iriam ser mais amigas e honestas.
Para as crianças da rua, o ensino deveria ser obrigatório. E para isso se deve aplicar o seguinte: se a criança for à aula ela terá comida de graça.
Assim as ruas somente seriam um ponto de passagem e um ponto de encontro.
Sei que é muito complicado fazer isto, pois este problema vem de geração em geração, mas nunca é tarde para começar.

“Se pudéssemos tornar uma pessoa mais feliz e mais alegre, deveríamos fazê-lo sempre.” H.Hesse.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Meu Aniversário

Mentalmente

Eu procuro
Usar este dia, para lembrar dos
Anos que vivi até hoje.
Naturalmente eu me
Imagino um ser viajante do passado.
Viver e ser feliz
Exige de nós, muita
Raça e força de vontade.
Simplesmente não sabemos
Ainda, o que a vida nos
Reserva, mas
Imaginamos que será tudo belo e
Ótimo. Por isso vamos viver cada momento da vida.

“Exigimos que a vida tenha um sentido, mas ela na verdade, só tem sentido bastante, quando somos capazes de a ela nos entregar. Uma vez que o indivíduo só pode realizar o imperfeito, tem-se procurado, nas religiões e filosofias, responder a todas as questões de alguma maneira satisfatória.

Tais respostas giram todas em torno da mesma coisa: só graças ao amor é que pode a vida encerrar algum sentido. Vale dizer: quanto mais disposto estivermos a amar e a nos entregar ao amor, tanto mais plena de sentido será a nossa vida."

H.Hesse

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Minha avó querida

Mulher
Andarilha, que
Raramente ficava
Imóvel em um mesmo lugar.
Amava a vida e
Dava tudo para ajudar
O próximo.
Criatura
Amada por todos.
Rodeada de amigos, procurava
Manter longe de si e dos parentes
O preconceito e a
Falsidade, pois
Amava a todos e
Brigava por todos.
Infelizmente, nos deixou. Mas
A raiz que plantou, floresceu e dela
Nasceram seus bisnetos. Devemos
Olhar para
Frente, mas nunca devemos
Esquecer que esta
Raridade de pessoa, vive ao nosso
Redor, em sua forma de pureza que é a
Alma.
Zelemos por ela, pois um dia nos encontraremos de novo.

“A dor e as lágrimas são nossa primeira e natural reação ante a perda de um ente querido. Elas nos ajudam a suportar o luto, as primeiras semanas de sofrimento. Mas não bastam para refazer os laços que nos prendiam a quem partiu. No primitivo estágio da humanidade, havia o Culto dos mortos: sacrifícios, flores sobre os sepulcros, monumentos etc. Na fase atual, o sacrifício outrora oferecido aos mortos realiza-se dentro de nossa própria alma, através de celebrações fúnebres, de justa saudade, da viva recordação do ser amado, no íntimo do coração.
Se assim procedemos, a pessoa desaparecida chega mais a nós. Pomos a salvo sua imagem, e ela nos ajuda a tornar proveitoso o sofrimento."    H.Hesse

terça-feira, 24 de agosto de 2010

A natureza e seus movimentos

De cima de um morro, olhando para o precipício, eu consigo ver o mundo de outra maneira.

Deste ponto eu consigo ver como
                                            Deslumbrante
                                            E perfeito, o
                                            Universo ( planeta água ) é
                                            Sublime.
O mar é um mundo cheio de surpresas, não somente os animais ( vida ), mas tudo a seu redor como: as pedras, as ilhas, os pássaros, o vento, o sol, o céu e muito mais.
Neste ponto estou sentado, me vejo envolto de pássaros voando sobre as pedras, a espera de um peixe no mar para poder se alimentar. O por do sol esta lindo e olhando para este imenso mar, me sinto como os descobridores que aqui chegaram e se espantaram com toda esta beleza.
As ondas do mar batendo nas rochas, finalizando seu caminhar ( percurso ), dão forma as pedras que durante séculos se modificam a cada beijo da água do mar.
É tão lindo o vôo dos pássaros com suas asas abertas com cor preta por cima e branca por baixo, peito aberto e olhos para o mar a espera de um peixe para se alimentar.
As ilhas em alto mar, com total imponência, garante a sobrevivência de vários animais. Ela esta ali a milhares de anos, cercada pelo mar e o tempo formando sua própria natureza, com a ajuda dos pássaros que levam as sementes e a correnteza do oceano que leva os peixes que circulam pela sua costa, mas quando o homem chega, sua vida se modifica, pois ele passa a derrubar suas arvores, matar os peixes e assim sua harmonia acaba sendo abalada.
A vida não vale nada se não souber desfruta-la. O mar é vida onde em harmonia ou não todos os seres se estabelecem vivendo no vai e vem das marés e correntezas.
O céu azul forma com o mar um grande espetáculo onde as cores se modificam a cada passada de onda e vento. A onde bate o sol, o mar fica verde claro e na sombra fica verde escuro, mas no horizonte ele fica azul.
As encostas dos morros vivem cheias de vida, pois os pássaros fazem seus ninhos onde novas vidas surgem. Alguns animais como os lagartos, que também vivem nas encostas se alimentam dos ovos dos pássaros e assim a vida segue para todos.
Bem a minha frente, dentro do mar surge uma tartaruga com o casco marrom; pequena, mas muito esperta e linda, ela sobe para respirar, mas logo afunda para poder curtir um pouco mais o fundo do mar que lhe da alimento e abrigo.
Um homem esta pescando de cima das pedra, com seu boné e uma roupa simples, me parece ser um morador da região. Ele esta pescando com sua vara de bambu onde ao lançar a isca para o mar, junto vai sua esperança de pegar um peixe para quem sabe alimentar a sua família.
No horizonte vejo um barquinho, mas não consigo ver as pessoas que ali estão, mas tenho certeza que são homens cheios de coragem e espirito guerreiro. Eles saem para pescar em mares revoltos e ventanias como hoje fortes. Daqui percebo o sobe e desce do barco nas ondas, mas cada onda ultrapassada é um trecho percorrido para a conquista de um ideal.
Devotos de Iemanjá e cercados pelas preces de suas esposas e filhos, eles rezam sempre que saem para poderem Ter uma boa pesca e um bom retorno para a costa.
Aqui em cima do morro, o vento esta tão forte que quase me leva, tenho que me apoiar com um pé na frente e outro atras para poder ficar com equilíbrio suficiente para me manter em pé. Os pássaros usam a força do vento para flutuarem e depois pegar velocidade para retornar ou ultrapassar a ventania com a batida forte de suas asas.
Não somos nada perante estes pássaros, pois eles são pequenos, mas valentes; e nós gigantescos, mas vulneráveis a força dos ventos.
O por do sol esta chegando e com ele uma nova vida vem surgindo, pois a escuridão vem surgindo e os animais da noite vão começar seu caminhar e o mar fica novamente de uma cor só.
Com o chegar da tarde, eu desço do morro para poder Ter outras visões do mar. No meio do caminho, vejo o mergulho da gaivota à procura de alimentos. É perfeito, ela sobrevoa o local, vê o peixe e vai contra o vento abrindo suas asas. Ela neste momento dá uma virada e a favor do vento pega velocidade e mergulha no mar. Quando sai de seu mergulho, ela trás em seu bico um pequeno peixe que ira servir de alimento para ela e seus filhotes.
Por uma trilha no meio do mato, vejo novamente a realidade, pois o homem já se instalou na beira da praia. Vejo também uma família reunida para pescar. O mar como sempre, esta renovando os laços de família, pois pai e filho lá estão a pescar e conversar.
Com o final do dia, o vento passa a soprar mais frio e com isto eu estou indo em direção da minha casa para poder me proteger.
Chegando na praia, o mundo passa a ser novamente real, ou seja, carro, pessoas e casas passam a se misturar com este mundo maravilhoso que via lá de cima.
O céu azul que antes predominava, agora está com nuvens brancas e negras e também com clarões avermelhados que ainda surgem de trás do morro que são os raios do sol que relutam a dormir. Os pássaros em bando retornam para as encostas do morro para descansarem de um dia tão lindo como foi o de hoje.
Nas areias da praia, pedaços de água viva são depositados pelo vai e vem das ondas. Os pássaros que ainda estão à procura de alimentos, agora não voam mais, pois estão à procura de alimentos na areia, como os Tatuis e outros seres que ali residem e servem para eles como alimento.
A lua vem surgindo no meio das nuvens, ainda aguardando a ida do seu irmão sol, para poder tomar conta da noite até a hora do dia raiar novamente.
Na areia, vejo um castelo que foi construído provavelmente por uma criança onde suas esperanças e medos se cercam nos muros altos e bem protegidos.
Esta é uma realidade, aqui uma liberdade total onde ate sonhamos, mas a realidade é outra, onde nos não somos seguros nem em castelos, pois como o castelo de areia, uma hora a onda ou o vento vem e leva toda a segurança.

O mar, a praia e o por do sol são perfeitos e por isto:

Minha vida é cheia de
Amor e
Ternura, pois
Hoje eu sei reconhecer meus
Erros e percebo que somente o
Universo é perfeito e nos
Seres humanos, temos muito a percorrer para quem sabe um dia !!!!!!!!!!!

Os pássaros que aqui vivem são lindos e cheios de vigor e

Basta
Eles voarem que as coisas ao seu
Redor surgem para suprir suas
Necessidades.
A liberdade
Dos pássaros, é invejada pelo homem
E por causa disto, até hoje nos
Tentamos de todos os meios buscar
Esta liberdade, voando de avião, helicóptero, ultraleve, asa-delta e muitas outras formas, mas nunca teremos o prazer de voar por voar, pois este dom, Deus não nos deu.

Quanto mais alto voamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.
Um momento especial de renovação para sua alma e seu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós capacidade de recomeçar a cada ano.
Viva a vida com amor e de asas para sua imaginação, pois podemos voar como os pássaros através de nossos sonhos e ainda mais, vamos muito além de onde os pássaros podem ir.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Amor ou paixão.

Paixão a primeira vista existe?
Na minha vida aconteceu literalmente. Um dia na saída do Colégio, estava com meus amigos na padaria que ficava na avenida principal da cidade, pois lá passavam as meninas do outro Colégio onde somente estudavam garotas. Nesse dia em particular, passou uma garota que nunca tinha visto e fiquei louco para saber quem era. Todos os dias depois das aulas eu descia para ver se a via novamente passando e raramente encontrava.
Durante um tempo eu não a vi mais; porém certo dia encontrei-a no Clube Municipal jogando vôlei e comecei a ir aos treinos e puxar conversa com ela e descobri que ela era irmã de dois amigos meus que jogavam handebol comigo no Colégio.
Daí por diante a coisa ficou mais fácil e começamos a nos falar e trocar olhares. Com o tempo, nos conhecemos melhor e no Reveillon de 1985 começamos a namorar depois nos casamos e hoje temos dois filhos maravilhosos.
Esta previa historia é para começar o meu texto sobre encontrar alguém da sua vida.
Se você encontrar alguém e essa pessoa fizer com que seu coração pare de bater por alguns segundos, esta pessoa pode ser uma grande surpresa na sua vida. Dizer que é a mais importante ou a pessoa é complicado, pois vários outros aspectos terão que ser analisados, mas é um bom começo.
Um dos pontos importantes é a troca de olhares; quando os olhares se cruzam e, na hora perceber um brilho diferente no olhar do outro, pode ser a pessoa tão sonhada, mas ainda é cedo demais.
Se durante o encontro acontecer um beijo e a troca de for intensa e o beijo for apaixonante e os olhos ficarem lacrimejantes, poderá estar acontecendo algo mágico entre vocês, mas ainda é cedo para dizer que está apaixonado ou é uma paixão passageira.
Se depois disso quando você acordar e o primeiro pensamento do dia for a pessoa e no fim do dia ainda persistir o pensamento, já é um grande início de ser um amor. Se neste tempo você conseguir sentir o cheiro da pessoa mesmo que por pensamento está começando um amor verdadeiro.
Marque um encontro e se neste dia você não conseguir trabalhar, ficar ansioso para chegar logo à noite para encontrar a pessoa, pode saber que esta ficando apaixonado.
Com o passar do tempo a vida te deu uma rasteira e você fica sem chão e a pessoa que esta ao teu lado sofrer com você, enxugar tuas lágrimas com ternura, saiba que esta pessoa estará com você em qualquer momento de sua vida.
Em muitos momentos de nossa vida, ficamos apaixonados, poucos amam ou encontram um amor verdadeiro.
Portanto devemos saber distinguir amor de paixão. O amor pode ser um interesse sincero por outra pessoa e neste caso as vezes sacrificamos nossos sonhos para poder fazer a outra pessoa feliz e conseqüentemente ficarmos felizes juntos e a paixão
Pode ser uma sensação egoísta e não devemos esperar amor em contrapartida, pois apenas pode-se estar carente e achar que é amor e sim paixão.
Por tudo isso, devemos prestar atenção nas coisas que acontecem, nos sinais que a outra pessoa nos dá e não podemos deixar que as maluquices do dia a dia nos deixem cego e não percebermos a melhor coisa da vida que é o AMOR.
Vamos viver todos os momento como se fossem o ultimo e assim poderemos fazer a pessoa que esta ao nosso lado mais feliz e assim manteremos em nossos coraçoes a chama do amor verdadeiro.
Pois como diz a música de Gonzaguinha:” Viver! E não ter a vergonha De ser feliz
Cantar e cantar e cantar A beleza de ser Um eterno aprendiz...”
No amor, somos eternos aprendizes e por isso devemos Amar, Amar e viver amando.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Minha esposa, minha vida.

Brincando, as pessoas se
Encantam com o mundo ao seu
Redor.
Nunca devemos nos
Arrepender das coisas que fazemos,
Dando a impressão de que não foi
Exatamente aquilo que
Tentamos fazer.
Estamos vivendo
Raros momentos que
Antes não vivíamos, porém
Cada cabeça é dona dos seus atos.
Hoje estamos felizes.
Imagine uma pedra no nosso caminho,
Dando um período de distância.
Geralmente quando isto acontece, o
Último momento tem de ser lembrado, pois
Ele é o ponto que nos
Dará uma enorme
Esperança, para, pelo menos, lembrarmos um do outro com
Saudades e carinho.

Estas palavras começaram com as letras do nome de uma pessoa muito especial para mim, e elas contêm, no meu modo de pensar, a pura verdade de um relacionamento entre duas pessoas.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

JAQUELINE, A CIGANA LOIRA

Um dia, lá estava eu andando pela rua, vindo de um encontro fracassado, quando de repente tive uma visão.
– Quem é você, ô linda garota? De onde veio e para onde vai?
Nada aconteceu, pois a garota apenas olhava para mim com aqueles olhos verdes claros, cabelo loiro compridos, cuja franja cobria a testa, pele clara e sedosa com uma boca delicada, a qual fazia um belíssimo conjunto com o nariz fino e especial.
Fiquei boquiaberto e, quando dei por mim novamente, lá estava eu sozinho de novo.
Passados alguns dias, outra vez avistei aquela linda imagem de uma doce mulher misteriosa, porém desta vez eu a vi por inteiro.
Com um olhar todo misterioso, lá estava ela vestida com um conjunto preto, que de tão justo realçava sua pele branca. E de novo desapareceu como um raio de luz.
Voltei para casa certo de que iria vê-la novamente, pois era tudo o que eu queria.
Andando nas ruas da vida, ficava à procura daquela mulher, e em todas as esquinas eu a via, mas nunca pude tocá-la ou pelo menos saber o seu nome.
No trabalho, todos me perguntavam o porquê de eu estar tão desligado e triste. Não tinha resposta, pois não sei se a loira existia ou era apenas uma ilusão.
Não agüentava mais aquela situação. Um certo dia, resolvi tirar férias.
Fui ao meu chefe e lhe disse:
– Chefe, não agüento mais. Estou ficando estafado, pois há dois anos seguidos venho trabalhando neste computador, sem tirar férias.
– Tudo bem – respondeu-me ele. – Tire um mês de férias. Você merece.
Logo depois de sair da sala do chefe, fui ao setor Recursos Humanos e arrumei meus papéis para tirar as férias.
Em casa, resolvi fazer uma viagem para o Sul do Brasil.
No outro dia cedo, arrumei minhas coisas, peguei meu carro e parti.
Passando por Blumenau, senti a presença da loira ao meu lado. Então resolvi ficar uma noite naquela cidade.
Andando pelas ruas de Blumenau, novamente eu vi a loira. Fiquei parado, olhando para ela e ela para mim. Foram minutos de plena troca de energia positiva.
Quando ela se virou, deixou cair um brinco de ouro, e quando me abaixei para pegar o brinco, ela desapareceu como num toque de mágica.
Fiquei louco, e com o brinco na mão, vaguei por muito tempo à procura dela nas ruas.
Algo me dizia que aquele brinco tinha algum significado. Então resolvi descobrir.
Como já estava ficando tarde, voltei para o hotel e reservei o quarto por mais dias.
Assim que amanheceu, tratei de procurar um antiquário, para descobrir a procedência e o significado daquela jóia, pois ela tinha algo de incomum.
O antiquário ficou bestificado ao ver o brinco e logo foi falando:
– Moço, este brinco faz parte da coleção das jóias dos Ciganos Loiros que moraram aqui séculos atrás.
– Como é? Ciganos Loiros? Que história é esta? - perguntei.
– Bem, muito tempo atrás, um bando de ciganos veio para esta região e junto deles vieram belas moças loiras que pareciam deusas, que com seus olhos verdes e a sensualidade de seus lábios junto com a ternura de seus corpos, deixavam qualquer homem apaixonado. Mas espera aí! Como você conseguiu este brinco?
– Me desculpe, mas não posso falar. Obrigado pela informação.
Saí e na rua comecei a sentir fortes vibrações na orelha e na mão onde estava o brinco. Então resolvi colocar o brinco na orelha.
Foi uma transformação, pois me senti como se fosse um cigano.
Andando pela rua, outra vez vi a mulher e esta me conduziu para um lugar distante da cidade. Era um campo florido e cheio de túmulos trabalhados a mão, onde eram enterrados os ciganos.
Minha vontade era falar com ela, perguntar seu nome, saber sobre sua vida e por que ela estava me perseguindo.
Com um olhar sedutor e chamativo, ela me conduziu até um túmulo onde havia um nome de mulher – Jaqueline – e com sinais me mostrou que era ela.
Indignado, comecei a cavar para saber se realmente era ela. Quando cheguei ao caixão, parei e pensei: “Como vou saber se é ela, pois dentro deste caixão só deverá ter ossos”.
Ao olhar para cima vi Jaqueline chorando e fazendo gestos para que eu abrisse o caixão.
Fiquei olhando para ela e não agüentei: abri o caixão. Realmente era o cadáver de uma mulher e era o de Jaqueline, pois os cabelos ainda estavam intactos e ao lado da orelha havia um brinco igual ao que estava usando.
Naquele momento ela me tocou. Que mãos maravilhosas e macias! Não tive reação, apenas fiquei esperando para ver o que ela iria fazer.
Com toda delicadeza, tirou o brinco da minha orelha e colocou em minha mão. Novamente com gestos, pediu para colocar o brinco dentro do caixão. Logo depois que coloquei o brinco no local por ela indicado, ela desapareceu.
Fechei o caixão, enterrei-o novamente e voltei para o hotel.
Depois daquele dia, nunca mais fui o mesmo, pois tudo na vida perdeu o valor.
Tornei-me um cigano sem rumo, esperando o dia de minha morte para, quem sabe, encontrar minha amada.
Um certo dia, voltei ao campo dos ciganos e ao chegar lá encontrei Jaqueline.
– Você novamente!
– Sim, sou eu mesma.
– Mas como pode ser? Você está falando comigo.
– Meu amor, você agora faz parte do mundo dos mortos e daqui por diante nada poderá mais nos separar.
Fiquei surpreso e alegre ao mesmo tempo, pois consegui realizar meu grande sonho que era ficar ao lado de Jaqueline.
Finalmente pude ser feliz, pois a partir daquele momento a minha vida passou a ser real.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Dia a Dia

Antigamente as pessoas diziam que os dias eram mais longos e dava para fazer tudo e aproveitar todos os momentos, pois a vida era mais tranqüila e os meios de comunicação e informatização não eram tão rápidos como hoje.
Hoje em dia nossa vida é uma correria maluca e dizemos que o dia deveria ser mais longo, pois não dá tempo para nada.
Por este motivo, não sabemos se já temos o suficiente para sermos felizes, pois sempre queremos mais para nossa vida. Preocupamos-nos muito em TER: ter isso, ter aquilo, comprar isso, comprar aquilo e esquecemos de coisas simples, como amizade, carinho, o poder de um sorriso. Um sorriso não custa nada, mas cria muitas coisas. Dura só um momento, mas sua lembrança perdura pela vida a fora.
Não se pode comprá-lo, mendigá-lo, pedi-lo emprestado ou roubá-lo. Não tem utilidade enquanto não é dado.
Quantas pessoas precisam apenas deste singelo gesto e não temos mais tempo para oferecer, pois hoje em dia como dizem tempo é dinheiro.
Os anos vão passando, quando nos damos conta, esquecemos do mais importante que é VIVER e SER FELIZ!
Hoje em dia os pais não têm tempo para os filhos e querem que as escolas os eduquem, mas esquecem que a maior educação é o amor, a harmonia, a compreensão e uma boa conversa que é o que os jovens precisam.
As pessoas precisam parar de correr atrás do Ter e começar a correr atrás do SER: Ser Amigo de seus filhos, marido ou esposa, Ser Amado pelas pessoas que estão ao seu lado no dia a dia, pois somente assim poderemos ser Gente.
O Que Você pode fazer para Mudar o Mundo?
Comece mudando a si mesmo. Ninguém muda o mundo se não consegue mudar a si mesmo... A mudança é dolorosa, longa, mas é necessária, temos que ter mais tempo para a família, para os amigos e principalmente para nos mesmos, pois se cair, precisa de pessoas para te ajudar a levantar e se ficarmos nesta vida corrida achando que somos imortais e não precisamos de ninguém, vamos ser eternos solitários urbanos.
O SER leva uma vida para se conseguir e o Ter muitas vezes conseguimos logo, mas o Ser é eterno e o Ter é passageiro e nem sempre traz somente felicidade.
Seja responsável: não culpe os outros pelos seus problemas, não seja oportunista, não seja vingativo, pois a vida foi feita para se viver com sabedoria, humildade e principalmente com amigos verdadeiros que só conseguimos com o tempo.
Não tenha medo de errar, com humildade se aprende fazer o bem atrairá o bem para você mesmo e trabalhando valorizarás o suor de teu esforço para alcançar seus objetivos. Busque a Verdade, a Perfeição, uma posição realista frente aos obstáculos, uma atitude positiva diante da vida. Defenda, participe, integre-se à luta pacífica pela Justiça, Paz e Amor, pois assim você vai Ter amigos, Ter condições financeiras com o suor de seu trabalho, Ter paz de espírito, Ter amor e respeito de seus familiares e principalmente Ter uma vida Digna.
Para isso acontecer, vamos conservar o brilho de alegria em nossos rostos, pois mesmo que não percebamos através do nosso sorriso, transmitimos para as pessoas que caminham ao nosso lado força, alegria e coragem.
Viva o amanhecer, viva o dia, viva à tarde, o entardecer, a noite e principalmente viva sua vida plenamente e seja um eterno aprendiz.
Aprenda com seus filhos, parentes, amigos e seja feliz sendo e tendo tudo que você merece.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A Viagem do Destino

Certo dia, um rapaz chamado Carlos resolveu entrar em competição de veleiros.
Carlos, desde criança, curtia ver barco à vela e navegar nele, e depois que aprendeu a velejar, o seu sonho era entrar em uma regata.
Passando perto da Marina no Rio de Janeiro, Carlos resolveu entrar para ver se havia alguma regata marcada. Ao saber que no dia 15 de março iria ter uma competição, ficou muito contente.
De acordo com o roteiro, dia 15 eles iriam largar da Marina em direção ao alto mar. Neste mesmo dia iriam encontrar uma bóia a 300 milhas, logo depois velejariam mais 500 milhas para encontrar a outra bóia e desta partiriam em direção à Marina de Santos.
Carlos pediu mais detalhes e preencheu a ficha para que pudesse competir.
Ao chegar em casa, o rapaz deu a notícia para seus pais, que ficaram contentes, mas preocupados, pois ele iria só e poderia ser perigoso.
Carlos começou a verificar seu barco, arrumar seus materiais de primeiros socorros etc.
E o dia tão esperado chegou.
O tempo estava bom para navegar. Tudo perfeito.
Os barcos foram em direção da linha de largada. Todos o competidores verificaram os rádios e foi dada a largada.
Os pais de Carlos pediram proteção à Iemanjá e voltaram para casa.
A viagem era uma novidade para Carlos que estava adorando.
Após um dia e meio, eles passaram pela primeira bóia, partindo em direção à segunda.
No meio do trajeto o tempo começou a fechar, o vento ficou mais forte, o mar estava batendo muito e, por isso, todos os participantes começaram a se comunicar pelo rádio para não se perderem. Ao anoitecer o tempo piorou. Eles estavam em alto mar e não havia nenhuma ilha perto.
O barco de Carlos virou, e o rapaz se apoiou na madeira da cabine que arrebentou.
Passou um dia e nada de socorro. Carlos estava apavorado, pois estava cansado, com fome, sede e frio.
Ao anoitecer, a fraqueza era tanto que Carlos desmaiou, sendo então levado para perto de uma ilha.
Quando Carlos acordou, estava próximo à praia. Logo procurou chegar na areia.
A ilha o deixou admirado, pois era grande e possuía muitas frutas, principalmente cocos.
Mais que depressa pegou alguns cocos para comer e beber sua água.
A noite foi chegando e ele, com pressa, começou a pegar pedaços de bambus, cipós, folhas de bananeira e outras coisas do gênero para fazer um abrigo.
Feito o abrigo, Carlos dormiu.
Logo ao amanhecer, resolveu explorar a ilha.
Primeiro, procurou um lugar melhor para ficar.
Ao passar perto de uma árvore, viu uma caverna, e resolveu entrar. Era pequena, mas limpa e quente.
Então fez dali seu novo lar.
Logo em seguida continuou a caminhar na ilha.
No topo de uma pequena montanha, ele avistou um vale, mas como estava anoitecendo, voltou à caverna para descansar e no outro dia continuar a exploração.
Naquele mesmo momento seus pais estavam preocupadíssimos, pois já se passavam dois dias que a regata havia terminado e nada de Carlos aparecer. Então, seu pai resolveu dar parte à Guarda Costeira sobre o acontecido.
Na ilha, durante a noite, Carlos ouviu sons de tambores vindo do vale.
Quando amanheceu, ele pegou alguns cocos e partiu em direção ao vale. No meio do caminho ele encontrou uma cachoeira, bebeu água e se refrescou. Continuando a caminhada, achou um pequeno lago, onde havia muitos peixes. Com fome, o rapaz pensou em pegar alguns deles, e para isso, resolveu pegar um bambu, fazer uma ponta nele, transformando-o assim em uma boa fisga.
Demorou, mas conseguiu fisgar um peixe.
Como não sabia fazer uma fogueira e a fome era demais, Carlos comeu o peixe cru mesmo.
Quando acabou de comer, já estava anoitecendo, e então resolveu dormir ali mesmo e continuar a caminhada logo cedo.
Ao amanhecer, ele pescou mais dois peixes: um ele comeu e o outro ele guardou para comer mais tarde.
Depois de ter andado mais de duas horas seguidas, ele encontrou uma praia, onde achou por bem descansar um pouco.
Mais tarde, andando pela praia, encontrou algumas pegadas e ficou curioso para saber de quem eram.
Porém estava ficando tarde e ele achou por bem dormir.
No dia seguinte, continuou a caminhada, mas nada de encontrar a tribo ou as pessoas que ali moravam.
Passaram-se dois meses e nada. Carlos ficou desanimado, mas faltava o lado norte da ilha para ser explorado.
Na cidade seus pais estavam desanimados, pois a Guarda Costeira havia encontrado os restos do barco, dando Carlos como morto.
Na ilha, as coisas pareciam melhorar para o rapaz, pois naquele dia ele avistou uma fumaça no meio da mata. E para lá se dirigiu.
Porém, no meio do caminho, ele foi abordado por trás por nativos que o fizeram de prisioneiro.
Carlos resolveu falar com os nativos, mas eles não falavam a mesma língua que o rapaz.
Ao chegar na tribo, Carlos ficou apavorado, pois havia vários corpos dilacerados e ele percebeu que a tribo era de canibais. Notou duas crianças comendo a mão de um dos corpos.
Os nativos o levaram até o chefe da tribo. Diante dele, Carlos começou a chorar. Vendo isso, o chefe ordenou que o levassem para dentro de uma oca.
Todos queriam chegar perto do rapaz, pois ele seria a refeição da tribo em alguns dias.
Carlos ficou amarrado dentro da oca, vigiado por um nativo à porta, para que não fugisse.
Uma das meninas da tribo gostou de Carlos.
Ela, então, foi até o chefe pedir permissão para ver o rapaz, pois gostaria de ver seus olhos azuis.
A permissão foi dada e a menina dirigiu-se até a oca onde Carlos se encontrava. Chegando lá, deu ao rapaz água e comida, ficando sentada perto dele por alguns minutos.
Ao anoitecer, Carlos ficou pensando em seus pais e como e quando iria morrer.
No outro dia, os nativos foram caçar, deixando um homem à porta da oca. O chefe da tribo pediu para a menina alimentar o rapaz.
Quando ela foi levar a comida para Carlos, este reparou que ela havia gostado dele.
Vendo o rapaz triste, a menina pegou uma pedra e o desamarrou. Sem saber o que fazer, Carlos abraçou a menina em forma de agradecimento, porém mal sabia que este gesto na tribo significava a cerimônia de casamento.
A menina, toda contente, pegou Carlos e o escondeu ao lado da porta. Em seguida, chamou o nativo vigilante, que ao entrar foi atingido por Carlos com uma pedrada na cabeça.
Imediatamente a menina pegou Carlos pelas mãos e saiu correndo em direção à mata.
Ao chegar da caçada o chefe foi até a oca, e percebeu que o rapaz havia fugido.
Sem demora, ordenou que alguns nativos fossem à procura do foragido. Não sabia ele que a menina havia ido junto.
A garota levou o rapaz para dentro de uma cascata onde ela se escondia dos rapazes da tribo.
Ao chegar lá, Carlos procurou um canto para descansar.
A garota foi deitar-se perto dele. Para ela, os dois haviam se casado.
Então começou a acariciar o rapaz e acabaram fazendo amor ali mesmo. Tanto para ele quanto para ela, aquela estava sendo a primeira vez.
Ela estava apaixonada por ele e ele estava gostando dela.
Durante dois dias, ficaram na caverna, e somente ela saía para pegar comida para os dois.
No terceiro dia, eles saíram em direção à praia, porém deixaram marcas no chão e os nativos novamente começaram a busca.
Ao chegarem na praia, ambos se esconderam no meio de uma moita, ficando ali até os nativos partiram em direção à tribo, pois estava ficando tarde.
No outro dia, Carlos começou a pegar bambus e pedaços de madeiras para construir uma jangada.
A menina o ajudou, pegando cipós para amarrar os pedaços de troncos e bambus.
Ao anoitecer, a jangada estava construída.
Quando amanheceu, Carlos tentou se comunicar com a garota, para que ela partisse daquela ilha com ele.
Ele o entendeu e aceitou o convite.
Então, colocaram a jangada na água, e nela partiram. Quando se encontravam a uns trinta metros da praia, os nativos chegaram.
Percebendo que os dois estavam fugindo, um dos nativos lançou uma flecha em direção da jangada. Ao perceber que Carlos iria ser atingido pela flecha, a garota atirou-se à sua frente, levando uma flechada no coração. E morreu.
Carlos ficou apavorado, mas deixou a moça no mar e seguiu viagem.
Durante a noite, o rapaz dormiu, e ao despertar deparou-se com um barco, que veio em sua direção.
Resgatado, Carlos foi levado a um vilarejo, onde logo procurou um telefone e ligou a seus pais.
Sua mãe o atendeu, mas pensou se tratar de um trote, pois ele estava desaparecido há um ano.
Percebendo que sua mãe não estava acreditando, ele disse:
– Mãe, eu estou com medo.
Diante disso, ela percebeu que era Carlos, pois sempre que ele estava apavorado ele dizia aquela frase. Então perguntou:
– Filho, onde você está?
– Eu estou em um vilarejo a 100 quilômetros de Santos. Venha me buscar. O nome do vilarejo é São Marcos.
Mais do que depressa ela e o marido saíram de casa em direção a São Marcos.
Ao encontrar o filho, abraçaram-no, e em seguida o levaram para casa. Durante a viagem Carlos ficou em silêncio, pensando na menina que ele amava e que o havia salvado duas vezes.
Passados cinco meses, Carlos ainda pensava na menina, e então percebeu que somente iria gostar de outra garota, se esquecesse da nativa que ele amava.
Ele não falou para ninguém sobre a ilha, pois sabia que se alguém ficasse sabendo, a paz na ilha iria acabar e tribo de sua amada seria destruída.
O tempo passou e Carlos conheceu outras pessoas. Mas antes de se casar, escreveu um poema para sua amada nativa:

Jovem índia de cor morena
jovem índia linda e ingênua
que no cantar dos pássaros, encena
a felicidade de ser virgem e serena.

Junto com este poema, ele colocou outro dentro de uma garrafa, lançando-a no mar.

Oh! Iemanja rainha do mar
que no seu lindo mundo fica a cantar.
Cuide da alma de minha paixão, na terra
no céu ou no mar.

Logo depois de ter lançado a garrafa, foi se arrumar para o seu casamento.
Esta foi a história de um rapaz que conheceu em pouco tempo o que é o amor.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Saudades de alguém

Muitas pessoas já passaram ou estão passando por este tipo de problema que tentarei descrever nesta história.
Como será a vida depois que perdemos um ente querido, ainda mais se esta pessoa for muito especial para nossa existência?
Perder algo já é doloroso, imagine alguém!
Bom, nossa personagem é uma garota que surgiu de minha imaginação.
Ela é muito bonita e simpática. Possui vários amigos e dificilmente gosta de conversar sobre a perda de se pai tão querido.
Desde que nasceu, Paloma era muito bonitinha e amada por seus pais.
O pai de Paloma a adorava e o amor era recíproco.
Paloma adorava brincar com ele.
Para a menina não existia pessoa melhor no mundo.
Porém, um dia, a vida não foi tão boa para Paloma, pois seu pai faleceu, deixando-a apenas na companhia de sua mãe e seu irmão.
Paloma tem uma admiração muito grande por sua mãe, mas nada é capaz de ocupar o espaço deixado por seu pai em seu coração.
Seu pai morreu muito novo e isso abalou muito a família de Paloma.
Como será a vida após a morte? Não sabemos, mas para muitos o espírito permanece vivo em um outro plano. Este plano é a evolução, ou seja, o crescimento para uma vida melhor ou descanso.
Acreditar nisto, muitas vezes faz com que aliviemos nossas dores, mas não ocupa o espaço em branco que fica em nosso coração.
Paloma conversa muito com sua mãe e esta lhe diz:
– Sempre que sentir saudades de seu pai, faça uma oração não pensando diretamente nele, mas sim pedindo para que um espírito mais elevado o proteja e leve a mensagem em forma de amor para confortá-lo.
Dentro do contexto descrito, vamos simular uma viagem de Paloma a outra dimensão onde ela irá encontrar seu pai.
Todo ser humano, se quiser, ou seja, que se concentre bem em alguma coisa, é capaz de conseguir alcançar seu objetivo. O objetivo de Paloma era se encontrar novamente com seu pai.
Certo dia, em seus sonhos, Paloma conseguiu ultrapassar o portal que divide a vida real da espiritual.
Foi um encontro muito bonito, pois a garoto viu seu pai muito sereno e feliz como estava acostumada a vê-lo.
– Pai, isto é um sonho?
– Não, minha filhinha, isto não é um sonho. Você está comigo em um plano de minha evolução.
_ Mas como eu cheguei aqui?
– Bem, você com seu amor e dedicação está tendo a possibilidade de estar comigo por alguns instantes. Minha filha, nem tudo na vida é como queremos, e saiba que se for preciso, sempre estarei ao seu lado para orientá-la.
– Mas, pai, como vou saber que estará perto de mim?
– É muito simples, minha filha. Olhe para dentro você e me verá, pois vivo dentro de seu coração e este amor é eterno.
– Pai, como e quando poderei vê-lo de novo?
– Isto eu não lhe falar, pois não depende de mim ou de você.
– Então de quem depende?
– Só depende Mestre?
– O Mestre dos mestres: DEUS.
– Bom, minha filha, nosso tempo já está se esgotando. Ouça com atenção o que vou lhe falar: Cuide bem de seu irmão e sua mãe, pois estes são a continuação de sua vida e com eles você poderá contar para o que der e vir.
– Não se vá, fique mais um pouco, pai.
– Sinto muito. A amo muito.
Naquele momento a menina acordou e ficou muito contente, pois havia falado com seu pai e visto que ele estava bem, num plano superior.
Mais que depressa Paloma foi até o quarto de sua mãe para contar o que havia acontecido. Ao chegar no quarto, ficou sem palavras ao ver sua mãe sentada, esperando-a.
– Minha filha, eu também encontrei seu pai.
A menina sem saber o que falar, apenas abraçou sua mãe e chorou.
Hoje Paloma está mais calma e sempre que pode faz uma oração em homenagem a este ser tão querido que é seu PAI.

“O que é saudade? Saudade é tudo, de tudo que se acabou.”

“Há lágrimas que dizem: Até logo. E há sorrisos que dizem Adeus.”

“Ninguém precisa tanto de um sorriso quanto aquele que não tem mais sorriso para oferecer.”

“Quando os olhos não podem chorar, algum órgão chorará por ele.”

“A vida é um grande dom de Deus. Em qualquer circunstância, temos que agradecê-la a Deus, aceitando as condições com que ela nos foi dada.”

“Pode-se estar só mesmo no meio de uma multidão, e esta é a solidão mais triste.”

Estas pequenas frases foram escritas por minha avó Hilda Pereira Chaves em junho de 1961.
A vida é como um livro, alguns sabem aproveitá-lo; outros simplesmente o ignoram.
Saber aproveitar o que a vida nos proporciona é um dom maravilhoso. Aproveite tudo e quem sabe um dia o reencontro será uma recompensa pelos seus atos.
Como diz Gonzaguinha: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz”.
Viva o hoje, pois o amanhã só a Deus pertence.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A vida de um sonhador

Todas as pessoas têm dentro de si um sonhador, seja ele apenas um reflexo de sua vida ou uma forma de viver. Porém, poucos sabem lidar com as dificuldades de sonhar, ou melhor, de realizar um sonho. A pior coisa do mundo é sonhar com algo vai acontecer e, quando se dá conta, percebe que foi apenas um sonho e este não irá se realizar. As pessoas que estão a seu lado não sonham como você, mas sabem seu sonho e não o realizam por motivos variados e isto, às vezes, faz com que se sinta muito inseguro e magoado. Mas a vida tem destas coisas e são elas que nos fazem crescer. Muitos ficam tristes e se isolam no seu intimo e fazem com que os sonhos se tornem pesadelos.
Esses pesadelos nos fazem sofrer e ficar mais sensíveis ao egoísmo e, como diz, Emmanuel , “o egoísmo na tristeza é o isolamento”.
Isolando-se as pessoas passam a ficar magoadas e tudo ao seu redor se apresenta como culpa e insatisfação. A mágoa traz à tona muitas coisas que em outras circunstâncias pareceriam normais, mas neste momento é maior do que tudo na vida e tudo que é feito por amor e amizade passa a ser revisto como culpa de não ter o reconhecimento necessário por parte de quem foi ajudado.
Francisco Cândito Xavier, em Agenda Cristã, psicografado por André Luiz, diz que: “ O revoltado tentará afivelar a máscara da rebeldia ao seu rosto”. “O incompreensível procurará mergulhar sua mente no fundo das perturbações”.
O coração é um órgão muito louco. Ele sente todos os sofrimentos e alegrias que o corpo e a mente lhe transmitem, mas o pior sentimento é a mágoa de um amigo, pois ele fica apertando o coração contra o peito, como que quer dizer: pare de sofrer, vá à luta e me deixe bater apenas para fazê-lo viver, pois, quando fica feliz, eu bato de alegria; quando fica triste, eu sofro com você, porem, quando está magoado, eu morro a cada instante.
Ao procurar por algo que me confortasse, achei um texto de Charles Chaplin que diz quase tudo o que estou sentindo neste momento: “Sorria, embora o seu coração esteja sofrendo... Sorria, ainda que o mesmo esteja quase a sangrar...
Mesmo que haja nuvens escuras no céu, VOCÊ SE SAIRÁ BEM SE SOUBER SORRIR ! Através do seu medo e da sua tristeza, SORRIA... E, ASSIM, ENTÃO, VOCÉ VERÁ O SOL ENTRAR BRILHANDO DE NOVO EM SUA VIDA” !!!
Neste momento, sinto-me um pouco fracassado como amigo, mas sei que tudo na vida dá volta e, um dia as coisas voltarão ao normal. Espero que seja sorrindo de tudo que passou, pois só assim poderei confiar novamente na minha intuição.
Para terminar, transcrevo este trecho de Marcos 11-25: "Quando estiveres orando, se tiverdes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha, para que vosso Pai que está nos Céus vos perdoe as vossas ofensas".
Por isto, viva, viva, viva, viva, e não pense no amanhã e no que possa acontecer, pois, se não acontecer, você irá sofrer sem saber o porquê e poderá imaginar um monstro, sendo que este possa ser apenas um cordeirinho. Viva o hoje e deixe o amanhã, se tiver amanhã.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A Educação Física e a Recreação

No dia-a-dia das aulas para a pratica da Educação Física, tem se observado que o número de alunos que dispensa das aulas de Educação Física, sendo também um dos fatores que também caracterizam a falta de motivação dos alunos para a prática das aulas de Educação Física Escolar.


A recreação é muito importante para o ser humano não só para a criança. Todos nos precisamos dos nossos momentos de lazer. A palavra recreação vem do latin, recreare, cujo significado é recrear. Portanto as atividades recreativas devem ser espontâneas, criativas e que nos traga prazer. Devem ser praticadas de maneira espontânea, diminuindo as tensões e preocupações.

Com a atividade recreativa, os corpos expressam a ordem interna da vivência lúdica, cujo ritmo e harmonia são construídos pelos jogadores em clima envolvente, que desafia a todos como parceiros: uns assumem-se aos outros e a realidade onde acontece a ação brincante...

A recreação possui como principais objetivos:

- Integrar o indivíduo ao meio social;

- Desenvolver o conhecimento mútuo e a participação grupal;

- Facilitar o agrupamento por idade ou afinidades;

- Desenvolver ocupação para o tempo ocioso:

- Adquirir hábitos de relações inter pessoais;

- Desinibir e desbloquear;

- Desenvolver a comunicação verbal e não-verbal;

- Descobrir habilidades lúdicas;

- Desenvolver adaptação emocional;

- Descobrir sistemas de valores;

- Dar evasão ao excesso de energia e aumentar a capacidade mental do indivíduo.

Infelizmente na educação física escolar, vários fatores contribuem para a falta de motivação dos alunos para a prática das aulas de Educação Física, porém, o professor é o maior responsável em motivar o aluno a praticar as aulas, fazendo com que o aluno leve este hábito para a vida toda, pois toda pessoa passa pela escola para se tornar um cidadão digno e com responsabilidade.

A recreação não deve ser vista como simples brincadeiras, sejam elas infantis ou para adultos, deve ser analisada e respeitada, principalmente como formadores de opiniões e como cidadãos!

domingo, 8 de agosto de 2010

PAI

Pai de verdade mesmo sabe que ser pai não é simplesmente recolher o fruto de um momento de prazer, mas sim perceber o quanto pode ainda estar verde e ajudá-lo a amadurecer.

Pai de verdade mesmo não só ergue o filho do chão quando ele cai, mas também o faz perceber que a cada queda é possível levantar.

Ele não é simplesmente quem atende a caprichos: ele sabe perceber quando existe verdadeira necessidade nos pedidos.

Pai de verdade mesmo não é aquele que providencia as melhores escolas, mas o que ensina o quanto é necessário o conhecimento.

Ele não orienta com base nas próprias experiências, mas demonstra que em cada experiência existe uma lição a ser aprendida.

Pai de verdade mesmo não coloca modelos de conduta, mas aponta aqueles cujas condutas não devem ser seguidas.

Ele não sonha com determinada profissão para o filho, mas deseja grande e verdadeiro sucesso com sua real vocação.

Ele não quer que o filho tenha tudo que ele não teve, mas que tenha tudo aquilo que merecer e realmente desejar.

Pai de verdade mesmo não está ali só para colocar a mão no bolso para pagar as despesas: ele coloca a mão na consciência e percebe até que ponto está alimentando um espírito de dependência.

Ele não é um condutor de destinos, mas sim o farol que aponta para um caminho de honestidade e de Bem.

Pai de verdade mesmo não diz " Faça isto " ou " faça aquilo " , mas sim " tente fazer o melhor de acordo com o que você já sabe " .

Ele não acusa de erros e nem sempre aplaude os acertos, mas pergunta se houve percepção dos caminhos que levaram o filho a esses fins.

Pai de verdade mesmo é o Amigo sempre presente, atento e amoroso - com a alma de joelhos -

pedindo a Deus que o oriente na hora de dar conselhos ...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

AMIGO

Amigo é uma palavra que possui muitos significados, mas para mim estes são os verdadeiros:

1) Amigo tem de ser leal a ponto de quando um outro amigo lhe contar um segredo saber guardá-lo.

2) Amigo é aquela pessoa que entende todos seus problemas e que faz o possível e o impossível para poder ajudá-lo.

3) Amigo é, principalmente, aquela pessoa que o faz sentir-se feliz.

4) Amigo é aquela pessoa que o faz sentir-se alguém.

5) Amigo não é aquela pessoa que você conheceu há pouco tempo, mas sim a que convive com você todas as suas preocupações e lhe ajuda a resolvê-las.

6) Antes de ser Meu Amigo, procure me ver como seu Inimigo. Caso não consiga me ver assim...

Garanto a você que seremos os melhores amigos do mundo.
Querendo ser meu amigo, procure ler estes pontos e se for capaz de segui-los será meu amigo.
Para todos os meus amigos e amigas, esta é uma lembrança carinhosa do amigo que lhes escreve.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Brincar

Vou iniciar este texto com uma frase muito importante para o tema. “Quanto mais numerosas e mais ricas forem as situações vividas pela criança, maior será o número de esquemas por ela adquirido”. ( Lagrange ).
Todos nos começamos a brincar e lutar desde a fecundação, pois durante o trajeto do Espermatozoide até o óvulo para a fecundação, os espermatozoides brincam passando um por cima dos outros e lutam pela sobrevivência. O mais forte e ágil sobrevive.
Depois da fecundação, poucos são os fetos que possuem pais que brincam com ele mesmo dentro da barriga da mãe e também contam histórias, cantam músicas e demonstram todo o amor por esta criança que está por vir. Os recens nascidos que passaram por este estágio de carinho e amor, já dão um passo muito grande para o seu desenvolvimento.
Na infância , a atividade lúdica ( brincadeiras ) se confunde com a própria vida, pois a criança tem que brincar para facilitar o seu crescimento corporal, o aumento da força, de resistência física e de coordenação percepto-motora. É nas brincadeiras que a criança desenvolve o seu mundo do faz de conta e nele desenvolve o seu intelecto e estimula a imaginação. Nas brincadeiras também, a criança desenvolve a sua identidade pessoal e sua habilidade de comunicação, pois pode usar vários meios para se expressar ( oral, postural, gestual, etc.).
Por estes e outros motivos, os adultos não necessariamente pais, professores ou conhecidos deveriam sempre incentivar as crianças para que estas nunca parem de brincar. Hoje em dia eu tenho pena das crianças, pois os pais não tem tempo para brincar e a primeira coisa que ensinam para o filho e ligar o controle da televisão para que este fique quieto e não queira sair ou chamar os pais para brincar. Esta criança terá seu horizonte de experiências muito reduzido.
Hoje em dia nas cidades grandes, a violência é muito grande e por isto as crianças estão prezas em suas próprias casas ou seja vivem em condomínios fechados e por isto as brincadeiras que antes desenvolviam e ajudavam seus pais, avós e tios a se formarem como seres humanos sumiram. Porém nas cidades pequenas, onde a violência ainda não chegou, as crianças ainda brincam de bola de gude, pique-pega, mamãe da rua, pique esconde, polícia e ladrão, garrafão e muitas outras brincadeiras que levam a criança a se desenvolver muito, pois passam por várias situações que mais tarde poderão ajudar na sua vida adulta. Por estes e muitos outros fatores, as brincadeiras possuem vários valores para a formação do homem, como:

A) Físicos ( desenvolvimento corporal, força, agilidade, etc.).
B) Sociais e Morais ( viver em armonia com outras crianças, aprende regras e limites, respeito, espírito de grupo etc. ).
C) Afetivos ( passa a dar valor ao companheirismo e aprende a viver bem com todos, alivia as tenções do dia a dia, pois as crianças também sofrem com este tipo de problemas .
D) Cognitivos ( exercitam a atenção e a imaginação ).

Com a brincadeira, a criança está sempre se movimentando e assim aprende seus limites, descobre várias sensações e aprende regras e limites para toda a sua vida.
Brincando, a criança vive, cresce, conhece, atua e pode ser o que quiser. Vivendo uma situação nova a cada momento.
As crianças que não brincam, passam por vários problemas em toda a sua vida. Ela em vez de ser uma pessoa ativa, passa a ser passiva ou seja não participa de quase nada, pois não sabe dividir, somente somar. Passa a ser dominado pelo meio onde vive e não sabe dominar, pois não teve experiências para saber o que é certo ou errado. E por isto vivem através de moldes impostos por outros tendo uma atitude de expectativa em vez de iniciativa.
Quando uma criança para de brincar, as pessoas que vivem ao seu redor, logo dizem: “Alguma coisa deve estar errada. Deve estar doente”.
Para que isto não aconteça, todos nos adultos temos que viver algumas experiências de brincadeiras para depois pensarmos em ter filhos. Pois só quem passou por esta fase de brincadeiras sabe como ensinar seus filhos a planejar brincadeiras divertidas ampliando suas possibilidades de escolha e imaginação criadora.
Por isto, brinque, viva cada momento de sua vida, não tenha medo de sonhar e de viver estes sonhos. Aprenda a ser você mesmo e cresça feliz.

Termino este texto com o seguinte pensamento: “Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz, temos um pequeno período de tranquilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós e a infestar todo o ambiente em que vivemos. O que queríamos evitar no combate - a decepção e a derrota - passa a ser o único legado de nossa covardia”. Paulo Coelho

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Meu nome

Caso não haja ninguém para falar, procure um
Amigo para conversar. E neste
Instante procure se
Orientar.
Mas não se esqueça que o teu
Amigo, também é um ser humano
Rodeado de problemas não solucionados. Tente
Captar seus problemas e o ajude também.
Igualmente, ele procurará ajuda-lo, pois
Onde há amizade, há compreensão.
Freqüentemente, todos se comunicam
Exatamente com o mesmo interesse.
Raramente, um desacordo
Reinará no centro, perturbando esta
Amizade.
Zombar da capacidade de alguém é
Conhecer ou desconhecer seus próprios
Horizontes, ou seja: esquecer do mundo
Ainda mais se
Você se acha perfeito o bastante para
Expressar ou permitir que usem seus
Sentimentos contra você ou contra outros.


Estas palavras podem expressar um pouco de mim, pois foram escritas com minhas iniciais.